Espiral de ervas

A natureza é rica em exemplos de modelos espiralados, presentes desde as pequenas conchas até constelações. Seu formato s respeita as curvas naturais, insere-se harmonicamente em jardins, é muito decorativo e capaz de integrar intuitivamente pessoas ao meio-ambiente.

As espirais de ervas podem ser de plantas medicinais, aromáticas, condimentares, de flores e forrações ou uma mistura de suas plantas preferidas e propiciam a criação de microclimas em pequenos espaços.

No alto da espiral, geralmente, temos um ambiente mais seco e ensolarado, próprio para alecrim, lavanda, babosa, entre outras plantas adaptadas a essas condições. No percurso curvo até a base, podemos ter cantinhos sombreados e mais úmidos, para plantas mais exigentes como tomate, moranguinho, malva, cebolinha, salsa, etc. Na base, que pode terminar ao nível do solo ou até mesmo em um laguinho, podemos plantar espécies apreciadoras de umidade, como manjericão e tomilho.

As espirais podem ser de qualquer tamanho e são perfeitas para espaços pequenos.

O mais importante é que todas as ervas, desde o topo até a base, estejam ao alcance das mãos. Em geral elas têm de 1 a 1,6 metros de diâmetro e entre 0,6 a 1,3 metros de altura. O local de implantação deve ter solo nivelado e de acesso rápido e fácil, preferencialmente perto da porta da cozinha.